Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Maio de 2013, mais uma Ecopista.

Desta vez rumei a Norte até à Ecopista do Sabor, parte da antiga linha férrea que ligava o Pocinho a Miranda do Douro.

 

Aceda aos Track point GPS aqui

 

Se utiliza uma plataforma móvel veja as fotos aqui

 

Percurso ciclístico

75 km total (50 dos quais na ecopista em ida e volta)

4,5 horas de pedalada efectiva

 

Depois da Ecopista do Dão, sempre tive esta como objetivo.

Como não é possível transportar bicicletas no comboio até ao Pocinho porque as composições não o permitem, exceto se o revisor quebrar o protocolo e fechar os olhos, tive que ir de automóvel, o que é lamentável.

Começando na estação do Pocinho, magnífico lugar junto ao Rio Douro, tempo para umas fotos.

O aquecimento é feito em plano no primeiro km, porque até Torre de Moncorvo é quase sempre a subir com inclinação acentuada. As vistas sobre o rio, com o Pocinho e antiga ponte férrea sempre presentes são muito bonitas.

Chegando à Ecopista (bem assinalada), é possível visualizar a cidade quase no seu todo logo nos primeiros kms.

Infelizmente o pavimento é em terra batida (o que limita o uso a BTT), como tal, é quase devorada pelo mato em locais de menor circulação ficando com um certo ar de abandono/obra inacabada.

Também as estações e apeadeiros estão muito degradados, com exceção de Torre de Moncorvo e Larinho. Nesta ultima, que está mais ou menos recuperada até tem um Café com esplanada.

Carvalhal e Carviçais são as mais bonitas mas também as mais degradadas, alguns apeadeiros receberam um pouco de cimento aqui e ali.

Á semelhança da Ecopista do Dão as barreiras de segurança são demasiado apertadas, mas com erva e mato, a situação é pior. Em alguns locais, os residentes fizeram algumas travessias à sua medida com alterações no pavimento e que escondidas pela ervas, chegam a surpreender-nos causando um ou outro susto, sobretudo no regresso onde ganhamos velocidade. Existem até segmentos (uns kms antes de Carviçais) onde se nota no pavimento a circulação de tratores, provocando uma desagradável trepidação.

Os primeiros 15km são quase sempre a subir e os últimos 10 a descer, mas com declives ligeiros.

A Ecopista é de facto muito bonita e as vistas são fantásticas, as vedações de madeira estão bem colocadas e conservadas, e até aos limites de Moncorvo, existem miradouros com bancos, estruturas para estacionar bicicletas e painéis de informação. Até existem pontos de água, mas que não funcionam...

Destacam-se o Carmelo da Sagrada Família que se encontra num excelente estado de conservação e manutenção, as Minas de Cabeço da Mua (Ferro-minas) e a albufeira de Vale de Ferreiros.

O fim da linha é em Carviçais onde temos também um painel informativo. Parei na estação, onde almocei numa bela sombra.  

No regresso, passei pelo centro de Torre de Moncorvo onde está tudo muito bem conservado sendo uma vila muito acolhedora. Destaca-se a Igreja Matriz onde nasce uma Figueira na junta da parede, curioso!

Depois segui na direção da Foz do Sabor. Com uma envolvência rural, a sua praia fluvial idílica e com uma boa infraestrutura de apoio, foi a cereja no topo do bolo.

O regresso ao Pocinho é feito pelo IP2 com vistas magnificas. Quando lá passamos de automóvel, não nos apercebemos da beleza da região.

Foi um dia memorável, bem passado e a Ecopista tem um potencial turístico imenso porque está inserida numa região muito bonita, o Alto Douro Vinhateiro.

Se estivesse num estado de conservação razoável, se tivesse pavimento alcatroado de pigmentação vermelho (não serve o argumento que este tipo de piso danifica a natureza, estraga a paisagem e envolvencia afastando os puristas, 10min na Ecopista do Dão dissipam todas as dúvidas), se fosse limpa em definitivo, passava de recomendada a essencial e obrigatória, um dos lugares de topo para a prática de cicloturismo em Portugal.

Seria bom que fosse requalificado o segmento do Pocinho até Moncorvo. 

Pelo que constatei, parecem estar reunidos os ingredientes de boas ideias para sucesso desta infraestrutura.

 

Esperemos que haja no futuro recursos financeiros e boa vontade, para transformar a Ecopista do Sabor no que ela merece ser!  

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:54


3 comentários

De daraopedal a 04.06.2013 às 20:15

Parabéns pela divulgação. Já percorri várias ecopistas e esta é uma que ainda me falta. A sua reportagem é bastante útil. continuação de boas pedaladas
www.daraopedal.pt.vu

De Vales Errantes a 04.06.2013 às 22:45

Obrigado por nos visitar.
Abraço.

De Tony S o Cister Monge a 08.02.2014 às 23:31

mais um post espetacular e cheio de vida com mta informação útil. obrigado pela partilha, pois é sempre bom divulgarmos estas coisas que estão tão escondidas do nosso povo em geral.
em Agosto de 2013 também fiz esta linha e deliciei-me por completo.
fica o link do meu report
http://www.cistermongetonys.blogspot.pt/2013/09/periplo-pelas-antigas-vias-ferreas-do_14.html
um abraço

Comentar post





Lista de todas as actividades

Percursos Pedestres

Em Bicicleta

Outras Actividades e Locais



Siga-nos na rede social


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Carris Cópia de DSC04873 Covão da Ametade DSC06715 Prado do Mourô/VidoalDSC07099 Sombrosas DSC08749 Vale do Rio Homem valeserrantes Poço Azul valeserrantes Ecopista do Dão valeserrantes

Cascata do Arado valeserrantes

Visitantes