Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Setembro de 2013, mais uma caminhada.

Uma travessia fantástica da Serra do Gerês e em excelente companhia.

 

Aceda aos Track-Points GPS aqui

 

Para plataformas móveis ou ecrã inteiro clique aqui

 

Percurso pedestre

35 km

9 horas de caminhada efectiva

 

O meu objectivo inicial era fazer a travessia em dois dias, mas por razões de força maior tive que a fazer num só.

Início em Pitões das Júnias pouco após as 7 da manhã rumo à Fonte Fria. 

Tivemos sorte com a meteorologia e o tempo estava fresco.

Este ano e após incêndios, existe muito menos mato, sobretudo junto à Fonte Fria o que facilitou muito. Na cumeada é só apontar à Nevosa lá ao Fundo. A progressão é rápida e tranquila ziguezagueando pelo muro de fronteira com vistas de muito longo alcance, e algumas aves de grande porte sempre a sobrevoar os céus em vigília.

Chegados à imponente subida para a Ourela dos Rubios, tempo para estudar alternativas rumo à cumeada. Não encontramos outra abordagem que não fosse a direito pela vegetação, mas como o mato está curto, tudo tranquilo. A 1/4 deste troço pareceu-nos ver um trilho vindo da esquerda que embora menos exigente, não justificará o longo desvio.

No decorrer do dia e à medida que íamos discutindo a topografia, reparei que ando enferrujado, toponimicamente falando :-) Seguir os tracks tirados do wikiloc num fundo branco dá nisto.

A abordagem à Nevosa è efectuada sem dificuldade. Se a formação rochosa em si é bonita, a paisagem no seu topo é extraordinária e onde conseguimos visualizar os principais pontos de interesse no coração da serra.

A descida pela face noroeste da Nevosa é a que considero mais rápida. Em pouco mais de 30 minutos chegamos aos Carris.

Descendo o Salto do Lobo procuramos água, mas esta escasseia. Rumamos em direcção à Ponte das Abrótegas onde pudemos constatar a devastação provocada pelos recentes incêndios.

Seguimos então viagem no sentido das Lagoas do Marinho. Neste troço destaca-se a monstruosa parede granítica no glaciar dos Coções do Concelinho a totalizar mais de 200m de declive, impressionante.

Continuando visualizamos o Borrageiro no cimo de uma enorme encosta. Há muito tempo que quero lá ir, no entanto, no contexto de grande esforço com uma caminhada superior a 30km na travessia, são 200m de declive para 1000 metros de extensão, já não é para o meu campeonato.

Chegamos então às lagoas do Marinho, fim de linha para os meus companheiros e paragem de abastecimento para mim. Tempo para uma breve despedida com um snack de frutos secos e siga, só faltou a Super Bock para empurrar.

A caminho do Xertelo fui pelo estradão. Ao contrário do que se possa pensar à primeira vista, neste caminho as paisagens são muito bonitas, temos a oportunidade de tirar os olhos do chão, olhar em frente e caminhar à vontade. Destacam-se as Lages dos Infernos lá no alto, as lagoas na Ribeira de Cabril que servem até para montar uma tenda, a Cascata de Vila Nova (embora seca no momento), e o trilho  intimista que percorre os últimos dois kms até ao Xertelo, com vista para a incrível Corga da Surreira do outro lado que perfaz mais de 500m de declive até ao Rio, e para Cabril a Sul.

 

Mais um dia épico. A magnífica travessia, a óptima companhia e o ultrapassar da barreira dos 30km em montanha são motivos de enorme satisfação pessoal.

 

Um abraço a todos os que partilharam estes momentos.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:46





Lista de todas as actividades

Percursos Pedestres

Em Bicicleta

Outras Actividades e Locais



Siga-nos na rede social


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Carris Cópia de DSC04873 Covão da Ametade DSC06715 Prado do Mourô/VidoalDSC07099 Sombrosas DSC08749 Vale do Rio Homem valeserrantes Poço Azul valeserrantes Ecopista do Dão valeserrantes

Cascata do Arado valeserrantes

Visitantes