Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Maio de 2014, mais uma pedalada.

Desta vez rumo a Montalegre para circundar uma das maiores albufeiras do país, a Albufeira do Alto Rabagão.

Desta forma, aproveitei também para conhecer melhor a Barragem do Alto Rabagão ou Pisões, e que é a maior do país em termos de comprimento de coroamento com 1970m.

  

Percurso ciclístico: 50 km em 3.5 horas de pedalada efectiva.

Track GPSaqui

 

Fotos no final do texto.

 

Situada no Concelho de Montalegre em Trás-os-Montes, a Barragem do Alto Rabagão é um autêntico colosso de Betão que forma uma enorme albufeira numa agreste mas espetacular zona envolvente.

E que me desculpem as pessoas que viram os seus campos inundados e vidas viradas do avesso devido ao subir das águas, mas o lago formado pela construção da barragem é simplesmente lindo. 

Começando a pedalar na aldeia de Pisões (nasceu com a construção da barragem), o sentimento é de nostalgia.

É curioso ver uma aldeia com 50 anos e os seus edifícios originais (tipo edifícios públicos) em muito bom estado de conservação, ruas com piso regular, um arranjo urbanístico impecável e com uma envolvência arbórea muito bonita.

Após uns minutos chega-se à barragem e respetiva albufeira neste momento na cota máxima, é impossível não ficar impressionado.

A própria barragem, além de ser constituída por 3 segmentos cada um com um comprimento semelhante às normais barragens de grande dimensão, a sua largura também é digna de registo, havendo segmentos em que cabe um camião articulado atravessado e uma área onde até caberão dois.

Curiosamente, não é uma grande produtora de eletricidade havendo mais de 30 barragens com uma produção média anual e potência instalada superiores.

Passando a barragem, fiz um desvio até um miradouro (não oficializado), o Marco Geodésico do Couto dos Corvos a 1217m.

É o momento físico do dia, 320m de declive para 4 km (D+ 8%). É sempre a subir com forte inclinação, e para chegar ao topo ainda temos um troço de 300m de BTT e outro a pé subindo rocha acima durante 10min deixando a bicicleta para trás.

No topo as vistas são incríveis, do melhor que já vi. Vê-se a barragem, a albufeira em quase toda a extensão, as proeminências rochosas para os lados da Fonte Fria em Pitões das Júnias, a freguesia de Alturas do Barroso, aldeia de Negrões e mais longe o Maciço Central da Serra do Gerês, Larouco, etc.

Depois do esforço na subida a adrenalina na descida, valeu mesmo a pena.

Segui então pela margem esquerda da albufeira por uma estrada marginal onde o excelente piso e o pouco tráfego são uma mais-valia.

Quase sempre com a albufeira em pano de fundo a viagem é muito bonita e motivante, no entanto a estrada não é plana tendo algumas subidas pronunciadas.

Passados alguns kms a cereja no topo do bolo, a aldeia de Vilarinho de Negrões.

Estando a albufeira na cota máxima e a aldeia situada numa área semelhante a uma península inundada praticamente até às casas, faz com que o enquadramento visual seja espetacular e invulgar, para além de estar conservada a arquitetura original das casas.

Uma breve visita pelas suas ruas mostra-nos um quotidiano rural onde o tempo passa devagar, mas um grande nº de  casas parece habitada.

A próxima paragem é em Negrões, e embora tenha uma configuração peninsular idêntica a Vilarinho, não é tão bonita, para além de descaracterizada em termos de construção das casas.

Mais uns kms e passamos por mais um local idílico. Um pequeno parque de merendas com churrasqueira e escorrega (não posso precisar o estado de conservação) a escassos metros da água!

Pouco depois de passarmos pela aldeia de Criande começamos a fletir a norte para circundar a albufeira. A partir daqui o tráfego rodoviário aumenta e temos que redobrar a atenção.

As vistas de albufeira e campos verdejantes são sempre uma constante.

Chegando à Aldeia Nova do Barroso, tempo para apreciar as casas construídas originalmente com a mesma arquitetura e tipo sendo parecidas com as casas florestais que encontramos no Gerês, dispostas de forma idêntica pelas ruas, e com a igreja no topo norte.

Depois de visitada a aldeia, é hora de regressar, agora pela nacional 103 com mais movimento.

Esta parte do percurso é menos interessante porque em grande parte não temos vista para a albufeira, se bem que é possível percorrer estradões de terra e algumas estradas secundarias para viajar mais próximo da água, mas não na totalidade do percurso.

O último local a visitar foi o parque de campismo de Penedones, inserido num local muito bonito junto à albufeira, com destaque para o amplo estacionamento no exterior e um parque de merendas publico também com churrasqueira, e um pequeno restaurante/café (que estava fechado).

Mais perto da barragem o viveiro de trutas é o último ponto de interesse mas ao qual não temos acesso.

 

Em conclusão:

Nos cerca de 6500km que percorri de bicicleta nos últimos 5 anos, entre idas a Santiago de Compostela, Fátima, Ecopistas, Gerês GranFondo, entre outros locais lindíssimos por onde passei, e sabendo que as opiniões valem o que valem, digo que, em bicicleta, este passeio rebentou com a escala, é simplesmente, espetacular!

 

Considerações sobre Barragens.

Por inúmeras vezes vi referências à Barragem do Alto-Lindoso como sendo a maior barragem do país, o que não está correto.

É de facto uma das maiores em comprimento de coroamento, em altura, em albufeira, e em produção média anual de eletricidade, mas em nenhum destes campo se encontra em primeiro lugar.

Possui sim a maior potência instalada com dois Geradores capazes de produzir um total de 630MW, e uma enorme central subterrânea onde esses gigantes estão instalados.

Em termos de comprimento a do Alto Rabagão é a maior com 1970m.

A parede tem 94m de altura acima da fundação.

Potência instalada de 68MW com uma produção anual média de 97GWh. 

A albufeira é uma das maiores do país com 2.200 hectares de área total, cerca de 2,5 x 8,5km.

Links sobre características de barragens aqui e aqui

Barragem do alto Rabagão 

 

 

Na Barragem 

Pisões 

 

Foto a poente 

Foto a Nascente

 

 

Arco principal 

 

 

 

Couto dos Corvos - Centro esq 

Albufeira na cota máxima 

 

 

Pequenas ilhas 

 

 

Para os lados da Fonte Fria em Pitões das Júnias 

Sempre a subir 

 

Couto dos Corvos

No marco geodésico do Couto dos Corvos 

Albufeira 

 

Negrões 

 

 

Na estrada junto à albufeira 

 

Vilarinho de Negrões 

 

Serra do Larouco

 

 

 

 

 

 

 

Em Vilarinho de Negrões 

 

 

 

 

 

 

Em Negrões 

Talking to me? 

 

 

 

 

Só falta o frango e o carvão 

 

 

 

 

Aldeia Nova do Barroso 

 

Escola primária peculiar 

 

 

Vilarinho de Negrões 

Chegada ao parque de campismo de Penedones 

 

 

 

Viveiro de Trutas 

 

 

Pisões 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:38


4 comentários

De Pedro Durães a 18.05.2014 às 23:39


Olá Anselmo,

- Descrição fantástica sobre uma das mais belas e colossais albufeiras do país. Apesar do impacto ambiental provocado pela retenção e consequente subida das águas, a verdade é que a beleza paisagística do "lago" barrosão é simplesmente... colossal!
- Já circundas-te a albufeira, entras-te em contacto directo com a cultura barrosã, subis-te a um dos "Cornos das Alturas do Barroso" (Couto dos Corvos), agora só tens mesmo é de caminhar pelo Barroso. É que para além da Serra do Gerês, tens o Larouco, Leiranco, Barroso, Cabreira... enfim, um Barroso inteiro por descobrir. Só me apraz dizer: Bem-vindo ao Barroso!

Um Abraço Montanheiro,
Pedro Durães

De Vales Errantes a 19.05.2014 às 10:35

Olá Pedro.
Obrigado por visitares o blog.
Não tinha ido além da barragem, mas tendo uma ideia do que ía encontar, confesso que não estava à espera de algo tão arrebatador.
Ás vezes vemos fotos de locais noutros países que achamos o máximo, e temos algo "Nosso", aqui, muito mais bonito.
De facto o Barroso terá ainda muito por descobrir, e oportunamente o farei, embora a distância para quem vive em V.N. de Gaia é sempre um entrave.
No entanto, espero continuar a divulgar o que de melhor temos no norte de Portugal, Barroso inclusivé.

Grande Abraço,
Anselmo Cardal

De Manuela Marques a 20.05.2014 às 10:20

Imagens fantásticas!
Também estivemos lá nestes dois últimos fins-de-semana e de facto é um dos locais mais belos de Portugal...

De Vales Errantes a 20.05.2014 às 15:28

Olá Manuela.
De facto é um local incrível.
Depois de andar a navegar no Google Earth e ver mais umas fotos, fiquei curioso como será quando neva!
Mas ir lá dois fins de semana seguidos é infelizmente um luxo que eu não me posso dar, que inveja!
Mesmo assim, dei por muito bem empregues os 300 kms que tive que fazer de automóvel para conseguir estas fotos.
Desta vez não tirei fotos a aves, quando muito "piquei-me" com elas nas descidas a ver quem seria mais rápido :-)

Cumprimentos,
Anselmo cardal

Comentar post





Lista de todas as actividades

Percursos Pedestres

Em Bicicleta

Outras Actividades e Locais



Siga-nos na rede social


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Carris Cópia de DSC04873 Covão da Ametade DSC06715 Prado do Mourô/VidoalDSC07099 Sombrosas DSC08749 Vale do Rio Homem valeserrantes Poço Azul valeserrantes Ecopista do Dão valeserrantes

Cascata do Arado valeserrantes

Visitantes