Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Julho de 2014, mais uma incursão na Serra da Estrela.

De volta a Loriga para subir a Garganta até à Torre, mas realizando a descida pela Penha dos Abutres com elevado declive, na companhia de Olhares Sublimes.

 

Percurso pedestre: 21km em 7 horas de caminhada efectiva

Track GPS: aqui

 

Fotos no final do texto

 

Iniciamos o percurso na praia fluvial de Loriga subindo pela garganta com o mesmo nome. Passamos pelo Covão da Areia, Covão da Nave, Barragem e Lagoa do Covão das Quelhas.

Embora percurso até à Torre esteja razoavelmente sinalizado, ao km 4.5 é necessária atenção redobrada pois não se vem marcações, assim como noutros locais.

As vistas sobre o glaciar e Vale de Loriga são muito bonitas.

O terreno é de fácil progressão, mas os 9km até à Torre apresentam um declive de 1150m, é sempre a subir com forte inclinação.

A subida final até à Torre é efectuada pelas pistas de ski.

As vistas no topo da serra são espectaculares em todas as direcções, e as próprias construções na serra principalmente os antigos radares conferem-lhe um visual único.

Aproveitamos para almoçar e fazer uma pausa na fantástica esplanada virada a oeste existente no bar da Torre.

A descida para Loriga é realizada na direcção da Penha dos Abutres.

Os primeiros 4kms são de declive suave e com bom terreno (tempo seco). Seguimos umas mariolas de grande dimensão que ajudam bastante, mas atenção à direcção uma vez que existe mais que um caminho.

Chegados ao Marco Geodésico da Penha dos abutres, descemos um pouco até um miradouro sobre uma rocha parcialmente suspensa.

È uma paisagem simplesmente espetacular e com um declive enorme a condizer. Sem duvida a cereja no topo do bolo.

A descida faz-se voltando atrás alguns metros e depois flectindo à direita tomando a direcção de Tarrastal e Cabecitos.

Parte deste troço é só difícil mas o resto, e mesmo que parcialmente mariolado, é mesmo muito difícil, trekking a sério, com muitas rochas, mato alto e zonas sem saída, um declive muito acentuado, mesmo com orientação GPS, foi complicado e fisicamente duro. Desaconselhado a quem não está habituado a estas andanças. São cerca de 3.5km com declive de -700m. Com chuva ou neve nem pensar e realizar como subida deve ser muito complicado.

Chegando à Casa dos Ingleses, podíamos virar à direita mas sem garantias de saída, por isso, optamos por virar à esquerda porque era mais fiável.

A restante descida até Loriga é muito fácil.

Mais um espectacular percurso, exigente, mas muito bom. O GPS é essencial, assim como boas condições meteorológicas.

 

Praia fluvial de Loriga 

 

 

Garganta de Loriga 

Vista para Loriga 

 

 

Loriga ao fundo 

 

 

Covão da Areia 

 

 

 

 

 

Covão da Nave 

Ninho de Formigas 

 

 

Barragem

 

 

Covão do Boeiro 

Rã à espreita 

Garganta de Loriga 

 

 

Lagoa do Covão das Quelhas 

 

 

Telecadeiras com Torre ao fundo 

 

 

Torre - Serra da Estrela - 1993m

 

Torre - vista oeste 

 

 

 

Corgão Vidouro 

 

 

Penha dos Abutres ao fundo 

 

Marco Geodésico da Penha dos Abutres - 1822m

 

 

Loriga ao Fundo 

Miradoudo da Penha dos Abutres - 1800m

 

 

 

 

 

A descida é técnica e difícil, declive e terreno complicados 

 

Penha dos abutres 

 

Zonas de muito mato 

 

 

Casa dos Ingleses

 

Penha dos Abutres ao fundo 

 

Casa florestal 

Loriga 

estamos a 900m de altitude 

Penha dos Abutres ao fundo a 2.5km em linha recta e 900m acima 

mais perto 

mais perto 

ainda mais perto 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:12





Lista de todas as actividades

Percursos Pedestres

Em Bicicleta

Outras Actividades e Locais



Siga-nos na rede social


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Carris Cópia de DSC04873 Covão da Ametade DSC06715 Prado do Mourô/VidoalDSC07099 Sombrosas DSC08749 Vale do Rio Homem valeserrantes Poço Azul valeserrantes Ecopista do Dão valeserrantes

Cascata do Arado valeserrantes

Visitantes