Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


A caminhada do Blogue Vales Errantes chegou ao FIM

 

Foi criado em 2008 quando haviam poucos blogues, quase nenhuma informação sobre trilhos e pouco ou nada se ouvia falar do facebook. 

Passados 10 anos acho que chegou a hora de concluir as publicações. Existe agora informação mais que suficiente e a realização de actividades da minha parte tem diminuído.

Termino então desta forma as publicações no blogue.

Ficam aqui cerca de 130 publicações com informação sobre percursos, percorridos a pé ou de bicicleta e alguns milhares de fotos. Espero que sejam de alguma forma úteis.

Quero deixar aqui um agradecimento a todos os que me acompanharam nestas andanças, em especial a dois companheiros: o Jorge Cunha com quem despertei para esta atividade das caminhadas e o Francisco Terra (que conheci através do blogue) com quem levei as maiores tareias. Espero obviamente continuar a usufruir de alguns momentos ao ar livre

 

Mas claro, queria que a ultima publicação fosse especial, e nada melhor que uma grande aventura!

O objectivo inicial era fazer a travessia de Pitões das Júnias a Castro Laboreiro de uma só vez (cerca de 65km).

Saímos às 3:30h de Pitões, numa noite escura como o breu apoiados pelos frontais.

Ainda antes da Ponte de Pereira, já andávamos às aranhas para apanhar o trilho que nos fugiu dos pés quando tentávamos fazer pequenos desvios para não caminharmos com água pelos joelhos. Perdemos logo 20min. Continuando, passamos ao lado da Fraga de São João ainda sobre noite escura.

Ás 5:30h já havia luz, mas o mato, ai o mato, nem era difícil encontrar o caminho mas a progressão não era tão rápida quanto isso. 

Ás 8h com 12.5km chegamos aos Carris, descemos o estradão (que é um amontoado de pedras), abastecemos nas Abrótegas e chegamos à Portela do Homem cerca das 10:25h com 22.5km onde voltamos a abastecer.

Aqui tivemos o 1º grande imprevisto do dia, estavam os funcionarios do ICNF no estradão que nos levaria na direção do Ramisquedo, não pudemos passar (zona de proteção total!!!) e tivemos que atalhar por Espanha.

Embora não houvesse mato devido aos incendios recentes, subir aquela encosta repleta de folhas de pinheiro (agulhas) e chão fofo atrasou-nos o andamento em cerca de 1 hora.

Chegamos ao Fial (estradão Louriça-Lindoso) às 13:40h com 32km e iniciamos a descida pela Serra Amarela pintada de magníficas cores até ao Lindoso, onde chegamos cerca das 15:30h com 39km.

Depois de abastecermos, arrancamos às 16h e seguimos para a barragem, descemos por um atalho atrás do café junto à Nacional 203, andamos novamente perdidos e perdemos mais 10min. Depois de passar a barragem pensei que fosse logo a abrir mas junto ao descarregador de cheia norte, como a albufeira estava perto do máximo tivemos que subir uma "parede" com 10 metros de silvas. Espectacular, devo ter lá deixado metade da minha camisola e perdemos mais 15min.

A partir daí e até Várzea foi sempre a andar na estrada junto ao rio que é lindíssima.

Em Várzea o trilho está submerso e tem que se fazer um desvio por uma cota superior, perdemos mais 10min.

Finalmente chegamos à Mistura das Águas às 18h com 49km. Faltavam 16km pelo lado de Espanha entrando em Portugal pela Ameijoeira. Com a albufeira na cota máxima, atravessar os rios só a nado. Chegar a Castro Laboreiro pela Peneda eram mais 22km, ou seja deveriamos chegar cerca das 24h.

Andar outra vez à noite, por um trilho desconhecido com mais de 60km nas pernas em montanha pareceu-nos pouco sensato.

Seguimos então pelo trilho da Mistura das águas que é muito bonito até Baleiral e depois por estrada até à Sra da Peneda onde chegamos às 20h30 com 58km feitos.

 

Cansados mas imensamente satisfeitos por vivermos este magnífico dia!

 

Dever Cumprido!

Obrigado por visitar este blogue e boas caminhadas.

 

Dados do percurso  

Pitões das Júnias: ínicio - 3:35h
Carris: 12.56km - 8:00h
Portela homem: 22.5km - 10:25h
Louriça: 32 km - 13:40h
Lindoso: 39km - 15:30h
Mistura das Águas: 49km - 18:10
Sra da Peneda: 58km - 20:35h.

Distância percorrida: 58 km em 17h
Tempo em andamento: 13:30h
Velocidade média: 3,4 km/h e 4.3km/h em movimento
Ganho de altitude: 2307 m

1-Pitoes 3.20h.jpg

2-Pitoes 4.15h.jpg

3-5h Junto á fraga sao joao.jpg

4-6.10h amanhecer Cornos de candela.jpg

5-7.40h subida ao paiol carris.jpg

6-8h Carris.jpg

7-9h vale do homem.jpg

8-10.10h ponte do rio homem.jpg

9-12h vale do rio homem desde a serra amarela.jpg

10-13h Corisco.jpg

11-13.40h Louriça.jpg

12-14.30h Serra amarela.jpg

13-15.30h Lindoso.jpg

14-16.30h Albufeira LIndoso.jpg

15-18h Mistura das águas.jpg

16-19h fraga das pastorinhas.jpg

17-20h rio peneda.jpg

18-20.30h Escadaria da Sra da Peneda.jpg

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:15

Queríamos ir à Neve, e conseguimos. Melhor, conseguimos e sem sofrer muito, porque às vezes a neve é um doce amargo.

Começamos no Mezio e seguimos na direcção do parque de campismo de Travanca.

Fomos subindo por estradão ganhando bastante altitude, passando depois a trilho de pé posto. Devido aos recentes incêndios nem sempre foi fácil encontrar o caminho na encosta da montanha mas lá chegamos à cabana Urzeira, verdadeira mansão de montanha com uma vista fabulosa.

Seguimos então na direcção da cabana Cova, esta também bastante grande e bem apetrechada. Depois de um período suave com 1km tivemos uma subida bem íngreme até avistarmos o Alto da Pedrada.

No sopé desta montanha, apareceu a neve que cobria todo aquele maciço. Tivemos sorte e desta vez, a neve apresentava boa consistência o que permitiu uma boa progressão.

Subimos pela encosta sudeste até ao topo, com a antena lá no alto sempre em sentinela.

Apesar de ter vindo cá poucas vezes, algo que eu aprecio muito nesta montanha, é o facto de ver-mos a sua grande elevação e irmos percorrendo a sua encosta, sempre com o azimute ao topo. 

Já no alto com o céu limpo as paisagens são espectaculares, destaque para o Alto da Peneda, Planalto de Castro Laboreiro, Serras do Larouco, Gerês e Amarela com os seus cumes pintados de branco.

Descemos depois em direcção à Calçada dos Bicos que também está um pouco descaracterizada devido aos incêndios.

Para fugir aos estradões, fizemos algum corta mato que executamos com facilidade devido à vegetação rasteira, e ainda percorrermos aquilo que pensamos ser os caminhos antigos visto que alguns deles encontram-se ainda lajeados e perfeitamente transitáveis.

Destaco a casa do guarda florestal que ainda está em bom estado de conservação e a nova escadaria junto ao Parque de campismo de Travanca para acesso ao rio.

Percurso pedestre: 20 km em 5:30 horas de caminhada efectiva.

Track GPS: aqui

20180321_114218.jpg 20180321_081132.jpg

20180321_083440.jpg

20180321_085923.jpg

20180321_090346.jpg

20180321_093841.jpg

20180321_093937.jpg

20180321_093938.jpg

20180321_100042.jpg

20180321_100455.jpg

20180321_100609.jpg

20180321_100736.jpg

20180321_101217.jpg

20180321_104304.jpg

20180321_104328.jpg

20180321_105018.jpg

20180321_105035.jpg

20180321_105133.jpg

20180321_111559.jpg

20180321_112016.jpg

20180321_112846.jpg

20180321_113720.jpg

20180321_114105.jpg

20180321_114108.jpg

20180321_114153.jpg

20180321_114218.jpg

20180321_114304.jpg

20180321_122931.jpg

20180321_122934.jpg

20180321_130533.jpg

20180321_132019.jpg

20180321_135538.jpg

20180321_140055.jpg

20180321_143549.jpg

20180321_143745.jpg

20180321_143916.jpg

20180321_144141.jpg

20180321_144309.jpg

20180321_144310.jpg

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:09


Lista de todas as actividades

Percursos Pedestres

Em Bicicleta

Outras Actividades e Locais